terça-feira, 17 de maio de 2011

Ninguém nunca vai entender...

...e nem mesmo eu entendo.


A complexidade do amor, muitas vezes, é algo inigualável a qualquer outro sentimento com que você se depare.

A vontade de abraçar, se sentir segura e nunca mais soltar quem você ama.
Chega a ser a mais bela canção para os ouvidos de quem, realmente, aprecia uma boa música.

A sintonia... a harmonia... a beleza... a pureza da alma.
A melodia do amor.

É a mão que escorrega, o nome que se soletra.
O perfume que predomina, a troca de olhares que alucina.
Palavras que tiveram como cúmplices as areias da praia e, fazendo-se simples assim, simples adentraram no seu coração.


É o preto com o branco, o vermelho com o roxo.
É o que faz sentido pra você.
Faz seus olhos brilharem com tamanha intensidade e arrancam o seu sorriso com sutil facilidade.
É a honra de se poder afirmar que jamais existiu e existirá sentimento igual.
É a força do que se viveu com a paciência do que espera viver.
Um mar profundo de emoções capaz de abalar toda a estrutura do seu corpo e da sua alma para que dois se transformem em um.
É o seu motivo.

E como é difícil frear os sentimentos.
Como é doloroso querer dizer o que não se diz, o que apenas se sente, o que apenas se percebe.
Saber tudo o que se pode viver , tudo o que você quer oferecer e lascia perdere.

Como é sofrível lembrar e ter que esquecer. E lembrar que se deve esquecer. E esquecer de se esquecer e, de repente, lembrar... assim, sem querer... até o dia em que, sem querer, você se esquece que está esquecendo de lembrar... e lembra que esqueceu.

E é preciso muita força para dizer que você prefere a opção de 'esquecer' do que 'nunca mais viver'.
Só aqueles que amam verdadeiramente poderão entender que o que existe dentro do coração é bem diferente daquilo que se deve demonstrar e convencer por fora.

Triste. Horrível.

E você não entende. Não entende esse amor que te cerca e te agarra e te prende e não quer te soltar.

- Por que é que este sentimento persegue a minha mente?
- Por que eu não consigo livrar o meu coração tão inocente?
- O que é essa sensação que insiste em retornar toda eloquente?

Só se sabe que é algo tão bom, tão forte, tão sincero... mas que não se deixa fazer o que faz com você, não se deixa pegar.
É arredio, escapa por entre seus dedos e... sente medo.
Medo de ficar ali, seguro, acalentado, protegido.
Talvez, porque, tanta coisa boa assim, junta, é meio difícil de acreditar que exista.

Mas existe.


- Means the world to me!


...

4 comentários:

Grazi.N disse...

Q lindo! Me emocionei lendo!

Raffaella disse...

='(

Rithiner disse...

"Mas pra fazer um samba com beleza
é preciso um bocado de tristeza."

Eis ai um belo samba!

Natacha C'unha disse...

nossa, beth . =/

www.manualdabeleza.blogspot.com