segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

17. Hoje seus olhos estão diferentes

Hoje seus olhos estão diferentes
Desconhecidos à mim
Eu não os vejo no começo
Eu não os tenho no fim

Queria que voltassem a ser como antes
Com aquela inocência de fazer inveja
Mostrando aquele brilho alucinante
Um pedido de amor às pressas

Já cheguei até a pensar absurdos
Como pedir que seus olhos me alfinetassem
Pelo menos assim os teria sobre mim
Mesmo que para demonstrar crueldade

Mas isso é besteira de uma simples louca
Não seria justo de modo algum
Prefiro muito mais seus olhos nos meus
Natural e inconstante, um amor comum


- Autora: Elizabeth vaz da Cunha

2 comentários:

Sue disse...

Passando pra te conhecer... Brigadinha pela visita no Vida... um Teatro. Bjsss!

Grazi.N disse...

Lindo texto, muri do meu cuore! @@

Sindel