quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

20. - Olhos, por que é que você me encara tanto?

- Olhos, por que é que você me encara tanto?
É certo que por mim existe algum encanto?
- Tu me chamas a atenção, doce Sorriso
O traçado de sua boca é propriamente preciso

- Então, meus lábios por si só lhe causam agrado?
Olhos, que amor... meu coração se sente tocado
- Que bom, lindo Sorriso, assim me trazes felicidade
A fonte de sua essência é expressão de amabilidade

- Preciso agora confessar-lhe algo de minha grande emoção
Esse seu brilho me embriaga, me faz arder de paixão
- E agora eu mais me deslumbro para muito bem te querer
Estou aqui, meu belo Sorriso, só para poder te ver

- Ah, meu querido brilho, já sinto até uma mudança no ar
Somos diferentes sentidos que muito querem se amar
- Sempre que dois seres se completam, nasce um forte ligação
Frutos de um amor sincero, somos agora um só coração


- Autora: Elizabeth Vaz da Cunha

Um comentário:

Osmar Santos disse...

...-Somos diferentes sentidos que muito querem se amar
- Sempre que dois seres se completam, nasce uma forte ligação
Frutos de um amor sincero, somos agora um só coração

Olá Liza! você me surpreende a cada poema postado!
parabéns!

"Um olhar e um sorriso.
Dois sentidos
à vida dando sentido,
transformando-se num só coração"